Carta à comunidade universitária

Saudações sindicais, prezados(as) professores(as), servidores(as) técnicos(as) administrativos(as), estudantes(as)

Aproxima-se mais um pleito eleitoral para a escolha do(a) reitor(a) que administrará a Universidade Federal do Piauí nos próximos quatro anos. Certamente, esta eleição entrará para a história como uma das mais desafiadoras durante seus 50 anos de existência, pois, além dos sucessivos ataques à educação, aos(as) educadores(as), de cortes de recursos orçamentários, de bolsas que atendem a milhares de pesquisadores(as) e estudantes, de perseguições aos(as) servidores(as) públicos(as), rotina que marcou o cotidiano das universidades públicas nos últimos anos, o ano de 2020 ficará marcado pela maior pandemia de nossa história. No momento em que escrevemos esse documento, o Brasil já contabiliza e sofre com mais de 100 mil mortes em razão da epidemia ocasionada pela  COVID-19.

Nos seus 40 anos de existência, a ADUFPI sempre se posicionou em defesa da universidade pública e gratuita, pela valorização e defesa de políticas públicas de inclusão social aos mais necessitados(as),pela valorização dos(as) servidores(as) públicos(as), de eleições livres e democráticas em todas as instâncias representativas e pelo respeito às decisões colegiadas. Toda essa trajetória de luta nos faz crer na capacidade de toda comunidade universitária em escolher periodicamente o melhor projeto de universidade e que, consequentemente, também se materializa em benefícios que serão percebidos por toda a sociedade piauiense.

Temos plena consciência da grandeza do nosso sindicato e da capacidade dos(as) nossos(as) associados(as) em decidir por um projeto de universidade que atenda às necessidades daqueles(as) que mais precisam, que reafirme o orgulho de estudantes, técnicos(as) administrativos(as), professores(as), servidores(as) terceirizados, em poder fazer parte da grandiosa história da Universidade Federal do Piauí, nos seus 50 anos de existência! A nossa luta não começa e nem termina no dia da consulta à comunidade universitária, dia 12 de agosto de 2020. Pelo contrário, ela se renova.

Continuaremos de maneira incansável defendendo o respeito pelo o que a maioria decidir em votações livres e transparentes. Que a liberdade de escolha possa ser preservada sempre, não somente no dia da eleição, mas também que o(a) candidato(a) mais votado(a) possa ser empossado(a), materializando seus projetos em diálogo com toda a comunidade universitária e reafirmando o compromisso assumido em sua carta-proposta.

Diante disso, reafirmamos, que a ADUFPI sempre estará em luta com aqueles(as) que acreditam no respeito e na democracia como instrumento central das decisões cotidianas. E cobrará exaustivamente dos(as) próximos(as) gestores(as) da Universidade Federal do Piauí, o zelo por nossas principais bandeiras de luta: democracia e respeito pela vontade da maioria. Respeito às organizações sindicais e órgãos colegiados; à diversidade sexual, religiosa, étnica e tantos outros respeitos necessários. Implementação e incentivo de políticas públicas que favoreçam aos que mais precisam; transparência nas ações cotidianas e zelo pelas instituições públicas, bem como o diálogo efetivo e permanente com a comunidade universitária e todas as suas instâncias representativas, dentre outras demandas da sociedade.

Portanto, a Universidade que queremos para os próximos quatro anos dependerá do esforço e do engajamento coletivo de todos(as) aqueles(as) que  fazem e fizeram parte da UFPI em seus 50 anos de existência. Precisamos refletir sobre isso para que o dia 12 de agosto de 2020, possa ser mais uma oportunidade de renovação de uma luta que não cessa e nem nunca deve cessar.

Atenciosamente,

A Diretoria