ADUFPI realiza capacitação sobre medidas de prevenção da covid-19 na reabertura gradual de serviços

Nesta segunda-feira, 10 de agosto, a diretoria da ADUFPI realizou evento de capacitação para seus colaboradores(as).

Evento faz parte do Programa de capacitação aos(as) colaboradores (as) da ADUFPI.

Nesta segunda-feira, 10 de agosto, a diretoria da ADUFPI realizou evento de capacitação para seus colaboradores(as) a respeito das medidas de prevenção contra a covid-19 na reabertura gradual de serviços administrativos na associação.

O evento ocorreu no salão nobre da sede atendendo a todas às medidas de higiene, segurança e distanciamento para a proteção de todos(as) os(as) presente na palestra.

O evento faz parte do cronograma do Programa de capacitação aos colaboradores(as) da ADUFPI, cujo um dos principais objetivos é poder promover informações confiáveis a respeito das principais precauções a serem tomadas sobre o novo coronavírus no ambiente de trabalho e quais cuidados devem ser adotados nessa nova fase de reabertura gradual da associação.

A profissional de enfermagem Mariana Dantas Nogueira Leopoldino Costa (COREN-PI 538417), convidada para ministrar a palestra, ressaltou a necessidade de ficarmos atentos às principais formas de contaminação no local de trabalho, e quais medidas devem ser adotadas a partir de agora, para evitar que haja contaminação das pessoas em seus locais de trabalho.

Temas como, conceitos básicos a respeito do vírus, suas variadas formas de transmissão, os sintomas mais frequentes, quem são as pessoas que compõem o grupo de risco e considerações a respeito do diagnóstico da Covid-19 foram compartilhados para reforçar os conhecimentos de todos e todas, a fim de garantir que a adequação na fase de retomada seja feita de maneira eficiente, segura e de acordo com protocolos de segurança no período de pandemia.

Questões como as medidas de distanciamento, uso obrigatório de máscara na sede e higienização das mãos foram duramente defendidos como forma de garantir que esses cuidados sejam atendidos corretamente.

Em entrevista, a enfermeira Mariana Dantas conta que pessoas que possuem doenças respiratórias crônicas como bronquite e asma nem sempre irão desenvolver sintomas típicos da Covid-19, pois não se trata de uma condição obrigatória, porém, essas pessoas apresentam uma tendência maior a desenvolver a forma mais grave da doença, sendo necessário ficar atento a gravidade de sintomas habituais dessas condições respiratórias em particular.
Uma das dúvidas mais frequentes sobre o novo coronavírus diz respeito ao período de transmissão do vírus quando se é diagnosticado com a doença. Sobre a fase de transmissão, Marina Dantas comenta que:
“A transmissão acontece a partir do primeiro dia de sintomas, e se sucede por pelo menos até 8 dias após a data inicial dos primeiros sintomas, a partir daí é provável que a fase de transmissão já tenha passado. Tempo no qual presume-se que o paciente tenha sido exposto a algum exame a fim de assegurar um diagnóstico sobre a sua situação de saúde.
Atualmente, o padrão de exame para diagnóstico do novo coronavírus recomendado pela OMS e o Ministério da Saúde é o teste molecular (RT-PCR) para diagnóstico do vírus em casos suspeitos, conhecido como SWAB, no qual coleta-se material de nasofaringe.” O exame busca detectar o RNA do vírus através da amplificação do ácido nucleico pela reação em cadeia da polimerase.
Mariana Dantas ainda pontua sobre necessidade de cobrar exaustivamente uma postura de conscientização das pessoas, visto que o vírus possui uma alta taxa de transmissão, onde em inúmeros casos acontece até de forma desproposital, por meio de uma conversa informal, por exemplo, sem as devidas medidas de segurança. E que se todas essas questões não tiverem uma atenção devida de cumprimento é possível que possamos regredir na retomada gradual de atividades em todos os setores.
A respeito do evento e sobre a capacitação do quadro de funcionários, a presidente da Associação dos Docentes da UFPI, Marli Clementino, diz que a decisão de fazer essa capacitação para seus associados, funcionários e servidores partiu, principalmente, da preocupação em valorizar e cuidar da vida de todos e todas que fazem parte da ADUFPI.
“Precisamos organizar um processo de retomada com muita cautela e muita segurança, por isso surgiu a necessidade de formação de nossos funcionários e de todo o quadro de trabalhadores(as) da ADUFPI, não apenas pensando na associação em si, mas sim, pensando na vida de todas essas pessoas que trabalham conosco visto que essas informações também podem contribuir e serem repassadas para todas as pessoas com as quais elas convivem. É de fundamental importância tanto o processo formativo desenvolvido aqui para nossos funcionários (as), quanto a implementação de todas essas medidas nesse período de reabertura de atividades na ADUFPI”, comenta a presidente da ADUFPI Marli Clementino.