UFPI: PROMISCUIDADE GERA DISCÍPULO

Junho 17, 2009, 2:14 p.m.

 

 

UFPI: PROMISCUIDADE GERA DISCÍPULO E TELEFONES SÃO SUSPEITOS

 

 

1. TELEFONES CORPORATIVOS

 

Estamos sabendo que a ADUFPI deu entrada ontem, 16/06/2009, no Protocolo Geral da Universidade Federal do Piauí, em um ofício onde solicita cópia do contrato entre a UFPI e a Operadora que fornece os serviços dos telefones corporativos da UFPI (telefones distribuídos para diversas pessoas ligadas à Administração Superior), bem como, a relação dos telefones pagos pela UFPI com as minutagens individualizadas e os respectivos beneficiários e, também, informações sobre a realização da licitação que fundamentou o contrato com a operadora. O OBSERVATÓRIO irá acompanhar atentamente o andamento dessa solicitação. Clique aqui e veja. ESPERAMOS QUE ESTES TELEFONES TENHAM SIDO DISTRIBUÍDOS DE FORMA LÍCITA E JUSTIFICADA.

 

 

2. COPESE: KILPATRICK, O BOM DISCÍPULO DA PROMISCUIDADE

 

Como é de conhecimento da comunidade universitária, a ADUFPI já denunciou no Ministério Público Federal e na Polícia Federal o Senhor SAULO CUNHA SERPA BRANDÃO, entre outras coisas, por recebimento de dupla gratificação pelo mesmo serviço prestado. Eis que agora, fomos surpreendidos pela informação de que essa prática ganhou adeptos. O Senhor KILPATRICK MULLER BERNARDO, atual presidente da COPESE, homem de confiança do Senhor SAULO CUNHA SERPA BRANDÃO, companheiro do mesmo Departamento de Ensino (Letras/CCHL), achou por bem seguir “o mestre e praticar a mesma PROMISCUIDADE. O supracitado, além de receber a gratificação CD-4 por ser Presidente da COPESE, recebe também, PASMEM!, como membro da Comissão da COPESE. É importante salientar que o Senhor KILPATRICK está em estágio probatório. Vale lembrar que tudo isso autorizado pelo Reitor LUIZ JUNIOR. Pelo visto, esses senhores se consideram intocáveis, acima de toda e qualquer Lei. Sendo assim, a ADUFPI terá que anexar às denúncias já encaminhadas mais essa PROMISCUIDADE. Outras com certeza virão. Agora está explicado porque o Senhor KILPATRICK e o Reitor LUIZ JUNIOR se recusam a fornecer as informações solicitadas pela ADUFPI.

 

 

3. REUNI: REITOR LUIZ JUNIOR TEM QUE RESPEITAR OS ESTUDANTES

 

O Reitor LUIZ JUNIOR tenta enganar os alunos dos novos cursos do REUNI. A proposta feita por ele para os alunos de Parnaíba é absolutamente ilegal. Envolve fracionamento de compras e fracionamento de obras, isto é, fugindo de licitações. Se com licitação os procedimentos do Reitor LUIZ JUNIOR já são questionáveis, imaginem sem licitação. Seria mais um ralo. Se esta proposta chegar ao MPF, dificilmente será autorizada, é mais provável que a partir dessa proposta se peça CADEIA para o proponente. Lembrem-se que a função do MPF é fiscalizar a lei, fazer cumprir a lei. O OBSERVATÓRIO VAI FICAR DE OLHO NESSAS COMPRAS E NESSAS OBRAS, se necessário, vai recomendar à ADUFPI ir ao MPF mais uma vez.

 

 

4. REITOR LUIZ JUNIOR: AÇÃO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA

 

Fomos informados de que as pessoas que figuram como testemunhas do MPF no processo contra o Reitor, por improbidade administrativa, são 03 (três) auditores da Controladoria Geral da União (CGU), aquela que o Reitor dizia ter considerado suas contas regulares (é blefe!!!!!!!!!!!). Lembramos que toda a fundamentação do Procurador no processo foi baseada em auditoria realizada pela CGU. 

 

 

5. AUDIÊNCIA DA ADUFPI COM A OAB GANHA REPERCUSSÃO

 

Consta no site da OAB a audiência da ADUFPI com essa entidade. Nessa audiência, a ADUFPI entregou cópia de denúncias protocoladas junto ao Ministério Público Federal e a Polícia Federal, contra o Reitor LUIZ JUNIOR, por prática de Nepotismo Cruzado, Improbidade Administrativa na COPEVE e Licitações Viciadas. O site informa que a Diretoria irá analisar a denúncia e se posicionar posteriormente. Clique aqui e veja.

 

 

EM TEMPO:

 

CARRO MISTERIOSO: fomos informados que o objetivo da viagem era a mudança para Bom Jesus da filha de um Servidor da UFPI que trabalha no Protocolo e de uma Servidora que trabalha no CCHL. Ou seja, usaram um bem público para fins particulares. Como o carro é/era da FADEX e o Serviço de Protocolo é vinculado a PRAD, com a palavra o Pró-Reitor FÁBIO NAPOLEÃO e a Superintendente da FADEX JOSANIA LIMA PORTELA.

 

 

Ass.

 

OBSERVATÓRIO ADUFPI

 

 

 

Comente agora

Busca Adufpi

Sistema Adufpi

Contatos Adufpi

Último Informativo

Informativo Adufpi 2017

Adufpi Facebook

Links Úteis