REITOR LUIZ JUNIOR ALOPRA DE VEZ

Set. 1, 2009, 2:35 p.m.

 

REITOR LUIZ JUNIOR ALOPRA DE VEZ E AFRONTA O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

 

O OBSERVATÓRIO ficou sabendo que o Reitor LUIZ JUNIOR convocou uma reunião extraordinária do Conselho Universitário da UFPI para o dia 31/08/09 (segunda-feira passada). Nessa reunião foi apresentada aos conselheiros uma recomendação do Ministério Público Federal recebida pela UFPI no dia 29/06/09, solicitando que a UFPI cesse imediatamente a cobrança de quaisquer valores de seus alunos, a título de taxa de inscrição, taxa de matrícula, como condição de inscrição ou freqüência em cursos de extensão e instrumentais. Vale salientar que essa prática, desde o primeiro dia da gestão do Reitor LUIZ JUNIOR, foi implementada e comandada pelo atual Pró-Reitor SAULO BRANDÃO (homem de extrema confiança do Reitor LUIZ JUNIOR). Na peça o MPF vem citando nominalmente os cursos de extensão instrumentais como Inglês, Francês e Espanhol, ministrados nas dependências do próprio estabelecimento federal de ensino superior.

Soubemos que nessa reunião, o Reitor LUIZ JUNIOR usou de todo o seu “poder de fogo” para fazer com que o Conselho Universitário aprovasse o parecer do Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação SAULO BRANDÃO. Nesse parecer, o Pró-Reitor SAULO manifestou-se fortemente, até com certa ironia e desrespeito, contra a recomendação do MPF, indicando o desacato a essa recomendação, questionando, até mesmo, a competência profissional e intelectual do Procurador TRANVANVAN FEITOSA. Este parecer do Pró-Reitor SAULO, foi bastante elogiado e defendido pelo Reitor LUIZ JUNIOR. O OBSERVATÓRIO também foi informado que na reunião algumas falas foram muito agressivas com o Ministério Público Federal, chegando ao cúmulo de uma determinada fala caracterizar o MPF como leviano, pois, acata e apura diversas denúncias que o Reitor LUIZ JUNIOR considera denúncias vazias. É muita ousadia. O Ministério Público Federal precisa ser informado sobre o conteúdo e o autor dessa fala.

Clique aqui e veja a recomendação do MPF

 

COMENTÁRIOS DO OBSERVATÓRIO:

 

O OBSERVATÓRIO está sabendo que a peça produzida pelo Pró-Reitor SAULO BRANDÃO é bastante dura contra o Ministério Público Federal. Nesse episódio é preciso registrar alguns fatos:

a) Vejam só quem o Reitor LUIZ JUNIOR escolheu para ser relator nesse processo. O Pró-Reitor SAULO BRANDÃO, que é diretamente interessado na realização do curso de extensão em Língua Inglesa. Antes de ser Pró-Reitor, esse senhor era conhecido na UFPI como o “ETERNO COORDENADOR REMUNERADO DO CURSO DE EXTENSÃO EM LÍNGUA INGLESA”. Cabe a pergunta: ele continua ou não no controle desses cursos?

b) Por que esses cursos não são gratuitos, já que toda estrutura envolvida é financiada por recursos públicos? Se gratuitos fossem, certamente não teríamos impedimentos.

c) A prestação de conta desses cursos de extensão em Língua Inglesa peca, entre outras coisas, pela falta de transparência.

d) A recomendação do MPF chegou a UFPI no dia 29/06/2009 e, estranhamente, só no dia 31/08/2009 o Reitor LUIZ JUNIOR disponibilizou essa recomendação para o Conselho Universitário.

e) Pasmem! No mesmo dia (31/08/2009), logo após a reunião do Conselho Universitário, o Reitor LUIZ JUNIOR, para demonstrar o AFRONTAMENTO AO MPF, disponibilizou no site da UFPI, a notícia de abertura de inscrições para o curso de extensão em Língua Inglesa (clique aqui e veja). Tudo indica que havia um verdadeiro desespero para garantir o funcionamento desses cursos. SANTO DINHEIRINHO!

f) O Reitor LUIZ JUNIOR só fala agora em autonomia da UFPI, como se essa autonomia permitisse a ele FUGIR DA RESPONSABILIDADE de prestar conta do dinheiro público manipulado por ele. Tudo indica que ele não suporta (ou tem medo) de ser fiscalizado pelo Ministério Público Federal. Ele sonha em utilizar como bem quer esses recursos públicos. PARECE SONHO DE NENÉM!

g) O OBSERVATÓRIO entende que, POR GANÂNCIA, o Reitor LUIZ JUNIOR e Pró-Reitor SAULO BRANDÃO (relator do processo) ALOPRARAM e cometeram um erro de conseqüências inimagináveis.

h) O OBSERVATÓRIO fará o acompanhamento do desfecho dessa ALOPRAÇÃO. O SONHO PODE VIRAR PESADELO.

i) Como dizia o falecido jornalista Donizette Adalto: “MORRO E NÃO VEJO TUDO!”.

 

Ass.

 

OBSERVATÓRIO ADUFPI

 

 

Comente agora

Busca Adufpi

Eleições Adufpi 2018

Sistema Adufpi

Contatos Adufpi

Último Informativo

Ações 2016-2018

Adufpi Facebook

Links Úteis