Proposta salarial aprovada em reunião plenária

Maio 20, 2010, 12:49 p.m.

Aos professores associados à ADUFPI,

A presente proposta salarial é resultado do trabalho de um grupo de professores associados à ADUFPI constituído por: Francisco das Chagas de Oliveira Cardoso, Daniel de Oliveira Franco, Magnus Martins Pinheiro, Joaquim Vaz Parente e Mário Ângelo de Meneses Sousa.

Justificativa

Os ínfimos salários remuneratórios para o trabalho docente doem até na consciência dos professores chefes de família, ao sentirem-se responsáveis pela baixa qualidade de vida que proporcionam à sua família, quando tem dificuldade, inclusive, para custear educação de qualidade para os próprios filhos.

As adversidades ao exercício do magistério, em nossa universidade, passa, impreterivelmente, pela dignidade do salário remuneratório. A disparidade entre o que percebe o professor e o egresso do curso que ministra quando inicia o exercício profissional em instituições como: AGU, Justiça Federal, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Justiça do Trabalho, dentre outras, é tão díspar, que chega a nos causar indignação.

Por estas e outras razões faz parte dos nossos propósitos lutarmos por um plano de carreira capaz de contemplar, minimamente, o valoroso trabalho realizado pela nossa categoria, infelizmente, tão vilipendiada aqui e alhures.

O resultado do trabalho preliminar realizado pelo supracitado grupo está disponibilizado em tabelas anexas como contribuição da Associação dos Docentes da Universidade Federal do Piauí para apreciação, correções, acréscimos, supressões e sugestões que permitam elaboração de uma política salarial única, ora em discussão no ANDES-SN.

Informamos, por fim, que a mesma foi aprovada em reunião plenária dos docentes da UFPI realizada em 12 de maio de 2010, contando somente uma abstenção e nenhum voto contrário.

Explicação das tabelas:

Trata-se de disposição, em tabela, que contempla piso salarial a partir do ingresso na carreira docente, por concurso público, desde aqueles que possuem somente a graduação, até aos que, portando o título de doutor, poderão galgar, também por concurso público, a condição de Professor Titular.

A partir do ingresso do professor, na universidade, a titulação passa a contar imediatamente, de acordo com as definições percentuais abaixo:

Aperfeiçoamento: 6,25%; Especialização/residência médica: 12,5%; Mestrado: 25%; Doutorado: 50%.
O enquadramento dos professores que já desempenham suas funções estará de acordo com o tempo trabalhado referido na coluna 1, sentido vertical (que corresponde ao acréscimo de 1% ao ano), de cada tabela, convergindo para a respectiva titulação constante na disposição horizontal. Por exemplo, um professor que tem 15 anos de magistério em regime de 40 horas e apresenta titulação de Mestre, fará jus ao salário de R$ 8.793,48.

Para os casos de Dedicação Exclusiva acrescentam-se 50% ao valor de quem tem 40 horas. Para os casos  de quem tem 20 horas contam-se o valor de 50% daquele que tem 40 horas.

Desta forma suprimir-se-ão todos os fragmentados componentes salariais ainda vigentes e haverá possibilidade de dignificar o salário remuneratório do trabalho docente.



Para ver as tabelas completas clique aqui.

 

Comente agora

Busca Adufpi

Contatos Adufpi

Último Informativo

Informativo Outubro 2014

Adufpi Facebook

Links Úteis